Sobre oxidaçao de cabos …

Publicado em Artigos / Blog dia

Um amigo comentou sobre problemas de oxidaçao com um cabo da Marca AR e por isso ele nao queria saber mais dessa marca. Há um tempo atrás, um cliente nosso também reclamou da IFE por problema parecido.

Nao sou defensor de nenhuma marca, porem acho importante mostrar que estas boas marcas, muitas vezes, nao sao culpadas do que ocorre e nao merecem ser punidas ou extintas por via disso. No passado , nos também tivemos problema parecido em um lote.

Diferentemente de empresas nao idôneas que usam produtos de baixa qualidade sem se preocupar com o resultado, boas marcas, infelizmente, estao sujeitas a passar por problemas desse tipo.

O cobre, assim como outros metais, apresenta estados de oxidaçao.

Ele passa , primeiramente ao estado de oxido cuproso e depois para oxido cuprico quando exposto ao ar (a cor passa de um vermelho salmao para um vermelho um pouco mais escuro). Em contato prolongado com o ar e umidade, pode-se formar um cabornato básico de cor verde que adere a estrutura do cobre prejudicando sua condutibilidade.

Alguns compostos podem ser otimizador deste processo, principalmente os halogênios, entre eles os a base de cloro (acido clorídrico). Como todos sabem a isolaçao (capa) dos cabos, na sua grande maioria, é de PVC , este C esta para o cloro presente na formula. Assim a matriz de PVC utilizada deve ser controlada e especifica para o segmento, para que este nao esteja em grande concentraçao e possa ocasionar problemas de oxidaçao.

É justamente nesse ponto que , as vezes, o fabricante pode ser pego desprevenido.

Se for fornecido a ele um PVC com características físicas nao ideais, ele pode ser levado a esse problema, intencionalmente. O que pode ser corrigido , no futuro, sem maiores problemas. Apenas identificando este mal fornecimento da matéria prima.

Outros fatores que podem ocasionar a oxidaçao sao a baixa qualidade do cobre ou material reciclado. Porem essas grandes e boas empresas do setor nao trabalham com esse tipo de material.

É importante citar que mesmo o cobre chamado livre de oxigênio, tem oxigênio, porem em pequena escala, e também esta sujeito a ter esse problema de oxidaçao.

A titulo de curiosidade, hoje em dia no Brasil, nao se fabrica mais o vergalhao de cobre livre de oxigênio, visto que a Caraíba Metais desativou essa linha deles acerca de 1 ano. a¨ preciso importar ele ou a comprar de empresas que fazem a laminaçao aqui.

Isso ocorreu por 3 motivos:
– Maior custo financeiro para obtençao do vergalhao OFC.
– Maior custo e tempo de produçao para a trefilaçao do cobre OFC (O cobre OFC é mais duro e mais difícil de trefilar, o que pode levar ele a ficar muito quebradiço nesse processo). O cobre puro é mais maleável.
– O desenvolvimento tecnologico da Caraíba, hoje , permite ter cabos de cobre puro com baixíssimos valores de O2, em torno de 100 ppm (antigamente era de cerca de 500 a 300 ppm). Um cabo OFC tem cerca de 10 ppm de O2.

Login