Boas práticas para instalações de sistemas de áudio

Boa parte dos problemas em instalações de áudio e em equipamentos elétricos são decorrentes do mau uso dos equipamentos. Alguns cuidados nas instalações de sistemas de áudio são essenciais para que o usuário não comprometa definitivamente os equipamentos, não prejudique sua segurança nem perca a garantia dos produtos, que é concedida pelos fabricantes.

As boas práticas nas instalações de sistemas de áudio e na operação diária dos equipamentos abrangem, por exemplo, a observação da tensão local de alimentação no qual o equipamento será instalado. Alguns amplificadores, dependendo de marca e modelo, não são do tipo “bivolt’”. Logo, escolher o equipamento correto para operar com a tensão local é a primeira ação para evitar problemas mais graves.

Neste artigo, descrevemos ações e cuidados na instalação de equipamentos em sistemas de áudio para que você tenha uma estrutura de áudio segura e eficiente em sua instalação. Vamos lá?

Qual é a diferença entre baixa e alta impedância?

De forma simplificada, a impedância é a média entre a resistência e a reatância de um sistema cabeado usado para a transmissão do som. No Sistema Internacional, ela é medida por Ohms (Ω).

Enquanto sistemas de baixa impedância são estabelecidos em ambientes que exigem potência e qualidade de som, os sistemas de alta impedância são indicados para locais com grande número de alto-falantes, como shoppings e aeroportos, pois possibilitam a conexão de diversos sonofletores em um mesmo circuito, utilizando apenas conexões em paralelo.

Boas práticas para instalações de sistemas de áudio?

Listamos as ações mais importantes para garantir a integridade e o bom funcionamento dos seus equipamentos nas linhas de alta impedância. Veja a seguir.

Utilize paralelos polarizados

Utilize cabos paralelos polarizados. Para locais onde vários cabos de vários circuitos passarão juntos numa mesma tubulação, prefira aplicar cabos do tipo par trançado para conexão de alto-falantes. Alguns sonofletores e cornetas têm fios soltos ao invés de bornes para conexão. A cor destes fios é importante, pois indicam os polos de conexão corretos. Em linha de alta impedância, produtos da marca TOA CORPORATION, por exemplo, utilizam a cor preta para o fio positivo e a cor branca para o negativo.

Observe os “taps” de seu alto-falante

Alguns sonofletores apresentam taps diferentes para linhas de 70 e 100 volts. Estes taps são utilizados para indicar com qual potência os alto falantes podem operar. O tap indica o quanto de impedância será utilizada pelo transformador do . Para ajustar o tap, utilize informações do manual do equipamento escolhido. Os sonofletores mais simples não produzem a potência total quando estão em linha de 70 volts, sendo capaz de gerar a potência máxima apenas quando estão conectados em linhas de 100 volts.

Cuide sempre do volume do amplificador

Observe os LEDs de VU do amplificador. Não permita que o som fique distorcido, gerando o chamado clipping. Mesmo quando você não escutar a distorção, não deixe que o sinal visual, no VU, ultrapasse limites de distorção, para evitar que isso danifique o sistema. Isso é especialmente delicado quando há cornetas instaladas, pois elas são equipamentos muito sensíveis à distorção e podem ser danificadas.

Evite sobrecarregar a equalização nos graves e agudos

Quando as cornetas são usadas em algumas áreas da instalação, é preciso evitar a sobrecarga da equalização nos graves e agudos, pois, assim, é possível impedir a queima dos drivers. Prefira deixar o sinal flat.

Nunca inverta o uso das portas “COM”

Alguns amplificadores, como o A-2240 da , oferecem várias portas de conexão com alto-falantes, com saída para 4 oHms e outras para linhas de 70/100 volts.

Essas portas usualmente trazem dois terminais com a inscrição “COM”, sendo um deles para conexão em linha de baixa impedância e outro para alta impedância.

Nunca inverta o uso dessas portas. Se a conexão for realizada com alto-falantes em ou 100v, utilize a porta “COM” dedicada às linhas, ou seja, não use a porta “COM” disponível para a baixa impedância ao ligar o fio positivo na saída de 70v ou 100v.

Não utilize portas de baixa e alta impedância simultaneamente

Quando amplificadores oferecerem portas para baixa impedância (4 ou 8 oHms) e alta impedância (linhas de 25/50/70/100v), nunca utilize portas de baixa e alta impedância simultaneamente, a não ser que o manual mencione que a ligação simultânea seja possível.

Deixe os amplificadores desligados

Para evitar choque elétrico ou danos ao equipamento, sempre deixe os amplificadores desligados, ao realizar a instalação ou se tiver que fazer alguma manutenção no sistema, checagem ou substituição de cabos.

Conecte as cornetas e sonofletores em paralelo

Em linhas de alta impedância, nunca conecte as cornetas e os sonofletores em série. Faça sempre conexões em PARALELO.

Utilize cabos adequados

Determine a bitola de cabos utilizados de acordo com as características da instalação. Você sempre deve utilizar uma tabela de bitola para caixas de som do fabricante. Também pode entrar em contato com o Suporte Técnico do Grupo Discabos para que possamos lhe enviar uma tabela.

Utilize um medidor de impedância

Na instalação, utilize um medidor de impedância para a checagem da impedância na linha. O equipamento verifica se a impedância na linha não está abaixo do limite de carga mínimo para o amplificador.

Por exemplo, um amplificador de 42 oHms conectado a uma porta de 100 volts não pode ser conectado a uma linha de alto falantes, cuja impedância seja inferior a 42 oHms. Se a medição é menor, significa que você tem sonofletores em excesso ligados à porta, ou a impedância de alguns sonofletores precisa ser elevada, a fim de reduzir a carga total de potência exigida do amplificador.

A mensuração da impedância acontece da mesma forma em um circuito simples, baseado em resistores, usando um multímetro comum, ou um medidor de impedância é adicionado para avaliar a capacidade da carga.

No entanto, usar multímetro para medir a impedância total de um sistema com sonofletores e transformadores retorna resultados imprecisos. Isso acontece porque os multímetros comuns realizam essa medida por meio da corrente contínua. Já o medidor de impedância utiliza a corrente alternada, o mesmo tipo de corrente utilizada pelos amplificadores. Nossa sugestão é utilizar o medidor de impedância TOA ZM-104A.

Quais os cuidados especiais na manutenção da infraestrutura?

Ao fazer a manutenção das instalações de alta impedância, cuide destes aspectos, conforme relacionamos a seguir:

  • Confira se não há curto-circuito nos cabos de energia, em linha de alto-falantes, ou em algum ponto da instalação;
  • Evite mal contato na conexão dos cabos paralelos com os sonofletores;
  • Avalie com frequência as emendas e confira se elas foram bem-feitas principalmente nos cabos dos alto-falantes. Prefira utilizar conectores de derivação ao invés de fazer emendas nos cabos.

Uma boa distribuição de som deve ser configurada de forma que a potência sonora de cada elemento adicionado ou retirado do circuito não afete o desempenho do sistema como um todo. Para isso, os cuidados na instalação do áudio permitem que a distribuição de corrente seja constante, e o resultado sonoro, perfeito.

Agora que você conhece as boas práticas para instalações de sistemas de áudio, que tal conhecer as melhores soluções para essa finalidade? Entre em contato conosco.

0 0 votes
Avalie este conteúdo
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Tags:

Veja também:

0 0 votes
Avalie este conteúdo
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Queremos ouvir você: deixe um comentáriox
()
x