Entenda as diferenças entre sistemas de áudio de baixa e alta impedância

Publicado em Blog dia

Em um sistema de som, é importante trabalhar corretamente a impedância dos equipamentos para obter os resultados desejados. Erros e equívocos nesse sentido podem ser os responsáveis por reduzir a eficiência dos sistemas e até causar a queima dos aparelhos. Para evitar situações assim, é importante prestar atenção na hora de instalar sistemas de sonorização.

Para esclarecer um pouco mais o assunto, neste artigo conheceremos os sistemas de baixa e alta impedância, além de saber mais sobre esse conceito e o seu funcionamento. Vamos lá?

O conceito de impedância

A impedância é um conceito da física medido em Ohms (Ω). De forma simplificada, podemos entender a impedância como a resistência elétrica do sistema ou cabeamento.

Sistemas de baixa impedância têm baixa resistência e a eletricidade flui com facilidade. Da mesma forma, sistemas de alta impedância têm maior resistência e dificultam a dissipação da eletricidade.

Em um equipamento sonoro, a corrente elétrica pode ser transformada em calor e também em energia cinética, responsável pela vibração dos cones sonoros, e gerar o som que escutamos — processo chamado de reatância. A impedância, então, é uma média entre a resistência e a reatância.

Em sistemas de baixa impedância, é necessário conectar amplificadores e caixas de som com impedâncias diferentes para atingir o seu funcionamento ótimo, o chamado casamento de impedância. Por exemplo, um amplificador de 200W e 4Ohms precisa ser conectado a caixas de som que resultem também em 4Ohms.

Para atingir esse resultado, duas caixas de som de 8Ohms podem ser conectadas em paralelo para resultar em 4Ohms. Ou seja, reduz-se pela metade a resistência para alcançar o melhor funcionamento do amplificador. Em ligações em série, a impedância de cada caixa é somada. Ou seja, as mesmas caixas do exemplo anterior resultariam em 8Ohms de resistência e não atenderiam a necessidade do amplificar mencionado.

As diferenças entre sistemas de baixa e alta impedância

Todo sistema de som é definido pela sua impedância. De forma simplificada, sistemas de baixa impedância são utilizados em ambientes que exigem potência e qualidade de som, como em shows e home theaters. Por ser composto por fios grossos, esse tipo de sistema não suporta grandes distâncias e exige cálculos específicos para atingir o funcionamento ótimo.

Por sua vez, sistemas de alta impedância são indicados para locais com grande número de alto-falantes, como shoppings e aeroportos. Também conhecido como linha de 70v ou 100v, esse tipo de sistema permite a conexão de diversos dispositivos e o uso de cabos de longa distância, com bitolas mais finas e menor custo de instalação.

A medição de impedância

Introduzidos os dois tipos de sistemas de impedância, é preciso também compreender como ela é medida e quais os equipamentos utilizados para isso. Erros nessa parte do processo podem causar danos aos aparelhos conectados e reduzir a eficiência de todo o sistema. Por exemplo, o vazamento de corrente elétrica pode sobrecarregar os aparelhos e gerar distorções sonoras.

Como dito anteriormente, a impedância é a média entre resistência elétrica e a reatância — todas essas grandezas são medidas em Ohms. O medidor de impedância é indispensável para o cálculo correto da impedância das linhas de alto-falantes conectados aos amplificadores. Assim, pode-se atingir o melhor desempenho de cada aparelho e obter o melhor resultado em qualidade sonora.

Conhecer o funcionamento dos sistemas de baixa e alta impedância é importante na hora de instalar cabos e áudios. Contudo, existem detalhes que devem ser observados para atingir os melhores resultados.

Se esse artigo ajudou a desmistificar um pouco o assunto, conheça também o nosso curso online gratuito:
Curo gratuito sobre instalação de sistemas de áudio em alta impedância.

Login